Usos do tempo livre e práticas culturais dos porto-alegrenses: comentando os resultados (1)

A partir de hoje, estaremos destacando e comentando os resultados da pesquisa Usos do tempo livre e práticas culturais, a serem publicados na íntegra em breve.

Apesar da oferta de concertos gratuitos, 2/3 dos porto-alegrenses nunca frequentou concertos.
Foto: Concerto da OSPA em 19/3/2015 - Créd. Pedro Belo Garcia (PMPA) 
Entre as opções de lazer tradicionalmente consideradas "culturais", a mais popular entre os porto-alegrenses é a de assistir filmes. Quase 2/3 da população viram pelo menos um filme em casa nos últimos 30 dias, enquanto cerca de 40% foram ao cinema neste intervalo. Sair para dançar também foi bastante citado, por quase 40% dos entrevistados; seguido por 36% que foram a shows musicais. Entre as opções menos populares, constatou-se que nos últimos 30 dias somente 3,4% da população foi a um concerto de música erudita ou ópera; 4,4% foi ao circo; 6,6% assistiu a uma apresentação de dança ou balé; enquanto 8,5% frequentaram exposição de fotos e 8,6% foram ao teatro. Pelo aspecto da "exclusão", mais de 2/3 nunca assistiram a um concerto e mais da metade da população nunca estiveram numa exposição de fotos ou apresentação de dança/balé. Visitar uma exposições de artes é uma experiência desconhecida para cerca de metade da população; e assistir a uma peça de teatro, para 43%.

Como esses dados se relacionam com os de outras capitais, ou do país como um todo?

Fonte: Pesquisa Usos do tempo livre e práticas culturais dos porto-alegrenses
Clique na imagem para ampliá-la
Comparemos com os dados da pesquisa Hábitos culturais dos Paulistas (2014), que entrevistou perto de 8.000 pessoas com 12 anos ou mais, em 21 municípios paulistas. Tomando-se somente os dados da Capital, em comparação com Porto Alegre, verifica-se que em geral a percentagem da população que frequentou atividades culturais pelos menos uma vez nos últimos doze meses (categoria que corresponde, na tabela ao lado, à soma dos valores das duas primeiras colunas), é maior na capital paulista. Enquanto lá 61% dos entrevistados foram ao cinema nos últimos 12 meses, aqui foram 54%; 12% foram a concertos por lá, enquanto aqui foram apenas 5,5%. Apresentações de dança: lá foram 18%, aqui, 13%. Teatro: 30% lá contra 20% aqui. O único tipo de atividade mais frequentada pelos porto-alegrenses foi o show musical: 57%, contra 45% dos paulistanos.

Já na comparação com os dados nacionais da pesquisa Públicos de culturado SESC e Fundação Perseu Abramo (2013), que entrevistou 2400 brasileiros com 16 anos ou mais, em áreas urbanas de 139 municípios de 25 estados, os resultados da nossa pesquisa colocam Porto Alegre em posição acima da média, já que no plano nacional, por exemplo, chega a 83% a percentagem dos que nunca frequentaram um concerto (contra 67% em Porto Alegre). 57% dos brasileiros nunca assistiram a um espetáculo de teatro (contra 43% dos porto-alegrenses); 71% dos brasileiros nunca frequentaram uma exposição de artes (contra 50% dos porto-alegrenses); e assim por diante.

A pesquisa Usos do tempo livre e práticas culturais entrevistou em domicílio 1.230 pessoas, com 14 anos ou mais, entre 5/11 e 2/12/2014. Iniciativa do Observatório da Cultura, o projeto é coordenado pelas sociólogas Fátima Ávila (SMC) e Mariana Aydos, o professor Caleb Faria Alves (IFCH-UFRGS) e Álvaro Santi (Observatório da Cultura). O trabalho de campo ficou a cargo da empresa Foco Opinião e Mercado.